WELLGREEN

Alternativas para a gestão de resíduos urbanos

As últimas estatísticas para Portugal face à produção de resíduos urbanos apontam para uma estimativa de 5281 milhões de toneladas produzidas em 2019, um aumento de 1% em relação a 2018.

De acordo com o Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos (PERSU 2020), a gestão de resíduos em território português assenta em cinco pilares fundamentais:

  • Recolha seletiva para posterior triagem e reciclagem através de ecopontos e ecocentros
  • Recolha seletiva de material biodegradáveis para compostagem
  • Recolha indiferenciada para tratamento de separação mecânico e posterior reciclagem
  • Valorização energética por incineração
  • Deposição em aterro

Portugal tem vindo a experienciar ligeiras melhorias relativamente aos anos anteriores, no entanto ainda se situa abaixo da média europeia e objetivos definidos pelos planos europeus e nacionais.

Um dos maiores exemplos de melhoria a nível nacional é o caso dos aterros. A utilização destas parcelas de terreno para armazenagem de lixos urbanos sofreu uma redução de quase 50% desde 2010 até 2018, o que demonstra claramente que os métodos de gestão alternativos estão a funcionar.

Atualmente, o panorama português quanto à gestão de resíduos urbanos está dividido em diversas vertentes quanto ao tipo de tratamento - em 2019, 33% dos resíduos foram colocados em aterro, 34% sujeito a tratamento mecânico/biológico, 19% incinerado e ainda 13% submetido a valorização orgânica ou material.

Valorização orgânica e material

Uma das melhores armas para a gestão de resíduos é a valorização orgânica e material. Diversas empresas portuguesas têm-se dedicado à recolha destes materiais de forma a valorizá-los sob a forma de corretivos orgânicos para tratamento e melhoramento de solos para agricultura. Há ainda a opção da digestão aeróbia, utilizando o gás produzido pela degradação da matéria orgânica para a produção de energia, sendo esta última uma das mais tecnologicamente inovadoras dos últimos anos.

O envolvimento das gerações mais novas

Cada vez mais o governo português investe na educação e sensibilização de crianças nas escolas de modo a lhes dar a conhecer os diferentes métodos de gestão de resíduos urbanos e a própria ecologia.

A política dos 3 R’s é um ótimo exemplo e desde muito cedo que é incutida na mentalidade das crianças - Reduzir, Reutilizar, Reciclar.

  • Reduzir - Consumo mais consciente, permitindo assim diminuir a produção de lixo e criar uma poupança dos recursos naturais.
  • Reutilizar - Dar uma nova utilidade a artigos que outrora seriam descartados, permitindo assim reduzir o desgaste e consumo.
  • Reciclar - Transformação de uma matéria em novos produtos ou matérias primas.

A introdução destes conceitos faz por vezes com que as crianças e jovens sejam os principais desencadeadores dos atuais movimentos da ecologia e daí serem de extrema importância no aproveitamento de matéria orgânica e eliminação de lixo de forma sustentável.

A gestão de resíduos urbanos é portanto, uma mistura de conhecimentos tecnológicos e ecológicos e está cada vez mais presente na nossa sociedade. Caso queira descobrir como a tecnologia pode auxiliá-lo também a reduzir o seu impacto no mundo, visite o melhor guia de casinos portugueses.

28 Jun 2021